PAPA RECORDA A FESTA DA DIVINA MISERICÓRDIA: PEDIR A GRAÇA DO PERDÃO E DO AMOR

Na Audiência Geral desta quarta-feira, ao saudar os fiéis poloneses, o Papa Francisco citou a festa da Divina Misericórdia instituída por São João Paulo II.

Vatican News

Pedir a Cristo misericordioso a graça do perdão e do amor operoso pelo próximo: assim, o Papa Francisco recorda a Festa da Divina Misericórdia, que a Igreja celebrará no próximo domingo (11/04).

O Pontífice cita São João Paulo II que, ao institui-la, “nos recorda que a liturgia parece traçar o caminho da misericórdia que, enquanto reconstrói a relação de cada um com Deus, suscita também entre os homens novas relações de fraterna solidariedade”.

“Cristo nos recordou que o homem não somente recebe e experimenta a misericórdia de Deus, mas também é chamado a ‘usar misericórdia’ para com os outros: Bem-aventurados os misericordiosos, porque encontrarão misericórdia (Mt 5, 7).”

“Dirijamo-nos confiantes a Cristo misericordioso e peçamos a graça do perdão e do amor  operoso pelo próximo”, exortou o Santo Padre.

O Papa Francisco também este ano – informa a Sala de Imprensa da Santa Sé – volta a celebrar uma Missa de forma privada – às 10h30 locais (5h30 do horário de Brasília) – na Igreja do Espírito Santo, in Sássia, próxima do Vaticano, no domingo dedicado à Divina Misericórdia, instituído há 21 anos por São João Paulo II e a ser celebrado no segundo domingo da Páscoa.

Ao término da Eucaristia, da mesma igreja o Papa conduzirá a recitação do Regina Caeli, que durante o período pascal substitui a oração mariana do Angelus.

No ano passado, nesta ocasião, o Papa celebrou a Eucaristia, de forma privada, na Igreja do Espírito Santo, in Sássia, que o Papa Wojtyla dedicou ao culto promovido por Santa Faustina Kowalska, apóstola da Divina Misericórdia.

Estávamos em plena pandemia e Francisco lembrou que a misericórdia de Deus é “a mão que sempre nos levanta”: Deus não se cansa, reiterou, “de nos estender a mão para nos levantar de nossas quedas”.

Seu pensamento tinha se voltado, então, para a difícil situação criada pela disseminação da Covid-19 para ressaltar o perigo de “esquecer os que ficaram para trás”, “o risco” de ser atingidos pelo “vírus” do “egoísmo indiferente” que leva a selecionar as pessoas, a descartar os pobres, a imolar os que ficam para trás no altar do progresso.

“Esta pandemia – frisou – nos lembra, no entanto, que não existem diferenças ou confins entre aqueles que sofrem. Somos todos frágeis, todos iguais, todos preciosos. O que está acontecendo nos abala internamente: é tempo de remover as desigualdades, de curar a injustiça que mina na raiz a saúde de toda a humanidade!”

Foi premente também foi seu convite a usar de misericórdia para com aqueles que são mais fracos: “só assim – disse o Santo Padre na ocasião – reconstruiremos um mundo novo”.

A Santa Missa e a recitação do Regina Caeli no domingo 11 de abril terão transmissão televisiva ao vivo por Vatican Media e em streaming no Vatican News com comentários em português, espanhol, italiano, francês, inglês, alemão e árabe.

A Rádio Vaticano estará transmitindo ao vivo, via satélite, para o rádio e a televisão nos países de língua portuguesa cujas emissoras nos retransmitem, a partir das 5h27 do horário de Brasília.

FONTE: https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2021-04/papa-francisco-divina-misericordia-transmissao-missa.html

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *