DURANTE A PANDEMIA, O AMOR PELA EUCARISTIA CRESCEU, AFIRMA BISPO

WASHINGTON DC, 19 nov. 20 / 11:35 (ACI)

O Bispo de Gallup (Estados Unidos), Dom James S. Wall, assegurou que em sua diocese o fechamento de igrejas devido à pandemia “criou um anseio, uma fome” pela Eucaristia, que ele considera como sendo a “única graça” que chegou neste momento.

Assim indicou o Prelado nesta terça-feira durante a assembleia virtual realizada pela Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB).

A Diocese de Gallup está localizada em dois estados com uma população principalmente nativa americana.

“Houve uma grande necessidade, um grande desejo e uma fome pela Eucaristia”, disse. As reservas, explicou Dom Wall, têm um alto índice de infecções e mortes por coronavírus. A pobreza das reservas complica a situação, lamentou.

“Por exemplo, na Reserva Navajo, 30% das pessoas não têm água potável”, disse, e para conseguir água é preciso ir até a cidade. Isso, somado às ‘quarentenas’ de fim de semana, tornou “muito difíceis” as práticas básicas de saúde, como lavar as mãos com frequência.

Dom Wall acrescentou que a pandemia promoveu um “amor maior pela Eucaristia” entre seu rebanho. Ele disse que esta foi a “única graça” que veio deste tempo.

“Acho que esta ausência da Eucaristia realmente criou um anseio, uma fome, um desejo em nome de nosso povo”, disse. O Bispo espera publicar em breve uma carta pastoral sobre a Eucaristia.

Durante a reunião de terça-feira, os bispos dos Estados Unidos também discutiram estratégias pastorais e o movimento do Espírito Santo durante a pandemia do coronavírus, e elogiaram os sacrifícios feitos por sacerdotes e leigos a serviço da Igreja durante esse tempo.

Do mesmo modo, destacaram o grande desejo pelos Sacramentos por parte de muitos católicos.

A conversa aconteceu durante a assembleia geral de outono da Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB), em 17 de novembro, e foi conduzida pelo Arcebispo de Oklahoma City, Dom Paul Coakley. Após a apresentação de Dom Coakley, os bispos foram convidados a compartilhar suas experiências em sessões de cinco minutos.

O Bispo de Brownsville, Texas, Dom Daniel Flores, elogiou o “grande sacrifício” feito pelos sacerdotes, capelães leigos e diáconos de sua diocese para prestar assistência espiritual durante a pandemia, bem como o impressionante esforço voluntário dos leigos para garantir que a Missa seja celebrada com segurança.

Dom Flores recordou que disse aos fiéis que precisavam desinfetar as igrejas depois de cada Missa para celebrar a seguinte. Afirmou que a resposta deles foi a experiência “mais edificante” da pandemia.

“Significou muito para as pessoas da paróquia que se ofereceram de forma voluntária – os grupos juvenis, os movimentos apostólicos, os diversos grupos que fazem parte da vida da Igreja – celebrar a missa e, inclusive, ter alguns momentos de adoração eucarística, inclusive até hoje, depois de cada celebração eucarística, cada funeral, cada batismo, as pessoas dão um passo à frente”, disse.

“Este é um sinal muito poderoso para nós”, disse Dom Flores, acrescentando que “estamos focalizando corretamente uma renovação eucarística à medida que avançamos”.

O bispo de Brownsville reconheceu que as pessoas que trabalharam para fazer coisas como higienizar suas igrejas assumiram uma tarefa difícil e aceitaram o risco adicional de serem expostas ao vírus “para possibilitar que a vida da Igreja continue”.

“Estou muito grato. Em meio à ausência eucarística, poderíamos dizer, muitas pessoas deram um passo à frente para garantir que possamos experimentar, mais uma vez, a presença de Cristo”, assegurou.

O Prelado acredita que ele e seus irmãos bispos deveriam “refletir sobre isso por muito tempo”.

Dom Flores disse que viu católicos ajoelhados em frente à basílica diocesana, alguns chorando, depois que as igrejas foram fechadas. Outros bispos contaram a mesma coisa.

“Este amor pela Eucaristia” fez com que as pessoas passassem por tempos difíceis e crises no passado, disse Dom Flores, “e é o que finalmente nos sustentará no futuro”.

Por sua vez, Dom Robert Barron, Bispo Auxiliar de Los Angeles, sugeriu uma campanha nacional para exortar os católicos a trazer alguém com eles quando retornarem à Missa, como forma de evangelizar aqueles que se desviaram da fé durante o período de confinamento.

O Arcebispo de Boston, Cardeal Sean O’Malley, disse que sua diocese foi particularmente afetada pelo vírus e pelas restrições impostas às igrejas.

Para manter os sacramentos à disposição dos mais necessitados, formou uma equipe de sacerdotes para atender os doentes de covid-19.

Esses sacerdotes, disse Dom O’Malley, ofereceram-se para ir aos hospitais e receberam capacitação e equipamentos especializados para estar o mais seguro possível. Também viviam isolados.

“Nenhum dos sacerdotes ficou doente durante esse tempo. Certamente somos gratos pela generosidade e foi um grande conforto para toda a comunidade saber que têm acesso aos sacramentos no final de suas vidas”, disse O’Malley.

O Arcebispo de Boston também elogiou seus sacerdotes por sua “coragem em querer servir os enfermos e moribundos”.

Publicado originalmente em CNA.

FONTE: http://www.acidigital.com/noticias/durante-a-pandemia-o-amor-pela-eucaristia-cresceu-afirma-o-bispo-31879

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *